O diálogo aconteceu ontem, dia 7, na Praça dos Indignados, em Ondina. A chuva e os ventos fortes tornaram o evento uma experiência um tanto insólita, por conta da estrutura de acampamento a céu aberto. Insólita, e também estimulante e renovadora.

Entre reflexões e provocações, Safatle respondeu as questões colocadas livremente pelos acampados e pelas pessoas presentes, tecendo comentários sobre o estado da estrutura política atual, o contexto dos movimentos Ocupa no mundo em relação ao atual momento brasileiro, o papel da Universidade nos processos de recosntrução de modelos de organização política, entre outros temas.

Christian Dunker (que dialogará com o Ocupa Sampa esta semana), comentou sobre a imporância e as potencialidades (mesmo latentes) dos movimentos de ocupação no Brasil, trocando ideias com o grupo sobre as possibilidades da Arte como vetor de mobilização social e política e sobre possíveis desdobramentos dos movimentos livres.

Safatle e Dunker são professores e pesquisadores da USP e vieram a Salvador participar de evento internacional de Filosofia e Psicologia. Ambos se aproximaram do acampamento e se ofereceram para dinamizar o diálogo aberto.

Todas as partes: 1 a 6

 

 

 

 

 

 

_______

A I diálogo público do @OcupaSalvador aconteceu em 25 de outubro, com Michael Burawoy, da Universidade da Califórnia, em Berkeley, pesquisador de temas ligados à precarização do trabalho e movimentos sociais,  e Ruy Braga (USP) que discute as lutas sociais no Brasil. Ambos são estudiosos do conceito de Sociologia Pública, proposta de práticas sociológicas extra-acadêmicas que intervenham efetivamente nos espaços públicos, em conversar com o movimento.

Assista o vídeo >>

Anúncios